Jesus é o Pão da Vida e o Faminto, como dizia Santa Teresa de Calcutá.

Jesus é o Pão da Vida e o Faminto, como dizia Santa Teresa de Calcutá.

Sim, meus irmãos, Ele é Aquele que nos alimenta, mas também é Aquele que tem fome de nossas almas. Afinal de contas, nascemos para Ele e por Ele devemos viver. Quando Jesus tomou o pão nas mãos e o partiu, dando aos seus discípulos (Mateus 26, 26-30), não apenas os deu, mas também nos deu a si mesmo, deu o céu e proporcionou nossa salvação. Jamais Ele nos deixaria sozinhos, jamais nos deixaria naufragar (Marcos 4,35-5,43). Seu amor transborda, seduzindo-nos.

Mas será que Jesus tem fome e sede? Sim, sem dúvidas, mas não do alimento que passa, e sim da alma eterna que há em nós. Ele habita em nosso ser, anseia por essa união que desde o princípio espera nossa resposta, uma resposta de amor. Alimentar a fome de Deus com o nosso Sim é garantir não apenas a nossa salvação, mas sim saciar a fome daquele que nos criou e nos chamou.

Até quando permitiremos que Ele grite em nossos corações? Até quando o deixaremos do lado de fora? Ele bate em nossa porta, pedindo um alimento eterno, nosso coração e nossa alma.

Não deixemos Jesus faminto. Ofereçamos a Ele o que Ele merece, ofereçamos a Ele a nós mesmos. E para nós, o que resta? Somente responder, dizendo: “Sim, Senhor, somente Tu tens Palavras de Vida Eterna, a Palavra que se fez Carne, Alimento, o verdadeiro sustento e eternização de nossa alma.”

.

Regina Caeli, oração recitada no tempo Pascal

Regina Caeli, oração recitada no tempo Pascal

Ressuscitou.Aleluia,aleluia!!

Nesse tempo Pascal onde celebramos com a Santa igreja a ressureição de Cristo rezamos a oração Regina Caeli(Rainha do Céu).

A oração Regina Caeli nos uni com a alegria da Virgem Santíssima, pela ressurreição do seu Filho. Anunciamos essa alegria 3x no dia, ao amanhecer, ao meio-dia e ao entardecer, assim consagramos o nosso dia a Deus e a Maria.

“Essa oração foi estabelecida pelo Papa Bento XIV em 1742 e substitui durante o tempo pascal, da celebração da ressurreição até o dia de Pentecostes, a oração do Ângelus cuja meditação central é o mistério da Encarnação.

Não se conhece o autor desta composição litúrgica que remonta ao século XII e era repetido pelos Frades Menores Franciscanos depois das completas na primeira metade do século seguinte popularizando-a e difundindo-a por todo mundo cristão.” (Acidigital)

Português
V/. Rainha do Céu, alegrai-Vos, aleluia.
R/. Porque quem merecestes trazer em vosso seio, aleluia. V/. Ressuscitou como disse, aleluia.
R/. Rogai a Deus por nós, aleluia.
V/. Exultai e alegrai-vos, ó Virgem Maria, aleluia.
R/. Porque o Senhor ressuscitou verdadeiramente, aleluia.
Oremos. Ó Deus, que Vos dignastes alegrar o mundo com a Ressurreição do Vosso Filho Jesus Cristo, Senhor Nosso, concedei-nos, Vos suplicamos, que por sua Mãe, a Virgem Maria, alcancemos as alegrias da vida eterna. Por Cristo, Senhor Nosso. Amém.

Latim
V/ Regína Cæli, lætáre, alleluia;
R/ Quia quem meruísti portáre, alleluia;
V/ Resurréxit, sicut dixit, alleluia;
R/ Ora pro nóbis Deum, alleluia.
V/ Gaude et lætáre, Virgo Maria, alleluia.
R/ Quia surréxit Dóminus vere, alleluia.
Oremus. Deus, qui per resurrectiónem Filii tui Dómini nostri Jesu Christi mundum lætificáre dignátus es: præsta, quæsumus; ut, per eius Genitrícem Vírginem Mariam, perpétuæ capiámus gáudia vitæ. Per eumdem Christum, Dóminum nostrum. Amém.