Existe um caminho que não te contaram para vencer os maus hábitos!

j

by Addan Dyego

}

30 dez, 2020

25 Ai de ti, torrente de hábitos humanos! Quem te resistirá? Até quando hás de correr antes de secar? Até quando arrastarás os filhos de Eva para o mar profundo e temeroso, que somente podem atravessar os que navegam no lenho da cruz?

Uma frase antiga que até hoje faz todo sentido. Tal frase encontrada no livro de Confissões de Santo Agostinho, nos faz com que reflitamos e quem sabe, contribua com uma justa decisão de vida.

“Aí de ti, torrente de hábitos humanos!” Sim, os hábitos são e sempre serão parte de nosso conjunto psicológico e espiritual, pois nos induzem a ações concretas, sejam elas más ou boas; Tais hábitos que nasceram e foram cultivados a partir das escolhas, sejam elas conscientes ou não e do ambiente, seja propício a moral ou a imoralidade.

O que podemos afirmar é que eles nascem e se cultivam a partir desses dois pontos cruciais da vida: Ambiente e Escolhas. Então vamos agora partir para a prática.

O Santo nos questiona, quem poderá resistir tais tendências se assim estamos adaptados? E quem conseguirá cumprir a difícil missão de navegar sob o mar que tanto nos persuade a manter-se na maré? 

Sim, é possível vencê-los. Vejamos bem o que ele mesmo nos diz: “… que somente podem atravessar os que navegam no lenho da cruz?”

Pois bem, veja que mesmo que as suas tendencias que foram formadas pela má educação, má formação religiosa ou até mesmo pelo mal ambiente que nascera, você poderá através do lenho da cruz, salvar-te desse desterro.

Em palavras mais diretas sobre esse contexto, lhe convido a fazer o que também o Cristo afirmou: “tome a sua cruz e siga-me.”

Não podemos vencer as más inclinações se não tivermos primeiramente gravados em nossos corações essa realidade, a vitória sobre todos os maus hábitos, principalmente os imorais, virá quando assumirmos que estamos precisando de ajuda e que a vida que até então estamos “vivendo” não é uma vida justa para um eleito e filho de Deus. Devemos buscar fazer o que a verdade nos propõe, mesmo que doa, mesmo que nos faça sofrer, mesmo que morramos por isso, pois só ela poderá nos dar a liberdade de uma vida fingida.

A visão humana é muito fraca, pois as perspectivas e os objetivos por muitas vezes, digo, maioria das vezes, estão sendo pautadas sob esses maus hábitos que empobrecem o nosso espírito.

Perceba, quando temos a impressão de que está tudo bem é quando tudo que está ao nosso arredor “está bem”, entretanto, não percebemos que tais perspectivas são exteriores e não fazem sentido algum. Quando estamos recebendo um bom salário, namorando com a “pessoa dos sonhos”, fazendo aquele curso que tanto queríamos ou trabalhando naquela empresa que um dia desejamos, caímos na cilada de achar que o melhor não poderá vir, mas ao passar do tempo, as escamas caem e tudo começa a perder o sentido, pois o motivo é simples, tudo que está fora é perecível e a verdadeira vida está dentro e não fora.

Os maus hábitos nos enganam, nos empobrecem, fazem com que entremos em um mundo “mágico e mentiroso”, nos convencendo a acreditar que aquilo que praticamos é o justo, enquanto o que realmente é justo, é impróprio para nós.  

Como podemos realmente encontrarmos a verdade a partir da experiencia de olhar para dentro de nós por meio do espelho da verdade? A partir do Lenho da Cruz.

Somente Cristo, poderá nos apresentar o real sentido da vida, somente aquEle que morreu no Calvário, poderá nos dar as forças necessárias para vencemos as nossas más inclinações.

Talvez nunca paremos para pensar no que vou escrever, mas hoje há estudos que afirmam que a cruz de Cristo era formada por três tipos de madeiras, sendo elas: Cipreste, Pinheiro e Cedro. E elas quando lançadas ao mar, sob as dimensões (peso e medidas) usadas no calvário de Cristo, é muito improvável que afundaria, portanto, abraçai também o Lenho da Cruz, pois com ele você não afundara, não se perderá e mesmo que venha tempestades e tu sinta-se obrigado a soltar-se dele, saiba, somente este lenho poderá te dar a vida. Lembremos da cuja frase que nos norteou até agora:  Até quando arrastarás os filhos de Eva para o mar profundo e temeroso, que somente podem atravessar os que navegam no lenho da cruz?  Agora preste bem atenção no que você irá ler, pois agora é Deus dizendo diretamente para você: “Abraçai a Cruz, Abraçai o Lenho, tenhais ciência que no madeiro o perfeito morreu como imperfeito e tu, meu filho imperfeito, morrendo na cruz, tornarás perfeito.

Destaque

Posts relacionados

Perdido anda quem anda atrás do perdido

Quantas são as vezes que ao estimarmos coisas e pessoas nos perdemos dos objetivos divinos? A Santa retrata muito bem isso. No capítulo 34, parágrafo 16 do Livro da Vida, ela escreve que não compreenderão bem aqueles que ainda não deixaram todo apego dessa vida por Deus, aquEle que nos dá verdadeira Luz.

ler mais

Precisa de ajuda?

Entre em contato

SIGA-NOS

SOBRE O AUTOR

Addan Dyego

Casado com a Taynara Oliveira, Pai de dois filhos. "Roma Locuta est, Causa Finita Est"

COMENTÁRIOS

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

POSTS RELACIONADOS

Cuidado! Tua condenação pode ser pior que a do outro

Cuidado! Tua condenação pode ser pior que a do outro

Em um dos maiores clássicos da história – Inferno de Dante, o autor apresenta no capítulo XI uma narrativa que nos permitirá avançar na Santidade. Para aqueles que não sabem, Dante Alighieri, italiano (século 13), não escreveu uma “trilogia” de contos com verdades...

Perdido anda quem anda atrás do perdido

Perdido anda quem anda atrás do perdido

Quão belas são as palavras que Deus nos transmite por meio de Santa Teresa de Jesus. “Deste modo já anda imperfeito e perdido. É o caso de dizer: perdido anda quem anda atrás do perdido”. Quantas são as vezes que ao estimarmos coisas e pessoas nos perdemos dos...

“Tu estavas mais dentro de mim do que a minha parte mais íntima”

“Tu estavas mais dentro de mim do que a minha parte mais íntima”

Dizia Santo Agostinho: “Tu estavas mais dentro de mim do que a minha parte mais íntima. E eras superior a tudo o que eu tinha de mais elevado” Grande e admirável afirmação, Agostinho admite que mesmo após ter entrado em uma seita pagã (maniqueísmo), Deus estava com...