Ora e trabalha: comecemos pela oração…

j

by Jaqueline Oliveira

}

25 nov, 2020

Lembro-me de um trecho do livro de Santa Catarina de Siena onde dizia que “o Espírito Santo havia lhe ensinado como construir para si mesma uma cela no seu interior”.

Graça que Santa Catarina adquiriu diante de uma realidade não muito comum diante dos grandes Santos Monges e Monjas; Por ter uma família grande, teria que trabalhar muito e ao mesmo tempo, não poderia abandonar a vida de oração, contudo, ela mesma afirmava que estava servindo Jesus Cristo, a Virgem Maria e os Apóstolos.

Os monges por sua vez, vivem uma vida “simples” dividida em algumas dimensões, sendo elas: oração e trabalho. Tanto que o que mais me chamou atenção em um documentário sobre a vida dos Cistercienses [1], era a forma que eles rezavam e trabalhavam, de modo que,  como se cada ato realizado fosse pensado, não era algo apressado, de qualquer jeito, mas totalmente ao contrário, é ordenado, bem vivido e experienciado, tornando o trabalho uma extensão da oração.

Talvez possamos cair na seguinte tentação: “Ora mas eles são monges e nós não, é impossível viver da mesma forma”, talvez você pense isso pelo fato de viver em um mundo agitado, com tantos ruídos, preocupações, afazeres no lar, estudos, trabalho, enfim, “tantos – tantos”, mas o que gostaria de indagar é o que temos feito e como temos feito nosso trabalho? Como que Santa Catarina conseguia fazer as coisas na sua casa, com sua grande família, servi-los, mas permanecer nesta cela interior? Como não desperdiçar esse meio que é o trabalho para nossa santificação pessoal e também salvação das almas? Comecemos, pois pela oração…

De fato, o trabalho deve ser uma via de santificação para nós, um meio eficaz onde podemos exercer muitas virtudes e até mesmo contribuir para a salvação das almas “trabalhar é amar, é servir e é voltar a criar. A construção do mundo, desde a sua origem, foi trabalho de Deus”, entretanto, com a oração.

São Josemaria Escrivá, o santo do cotidiano diz que “como é que serão as tuas obras, se não as meditaste na presença do Senhor, para bem ordena-las? Sem essa conversa com Deus, como hás de acabar com perfeição o trabalho de cada jornada?” se os nossos atos não estão ordenados e muito menos oferecidos para Deus, então de nada adiantará tantos “afazeres”. A oração não só é o elemento fundamental, como também é a base para que saibamos pôr em ordem os nossos atos e sentidos diante de Deus e por meio dela que vamos tendo força para suportar uma dificuldade, saber dispor do que temos para beneficio do outro e para alcançarmos as virtudes que o trabalho nos propõe.

É pedindo pois a Luz do Espírito Santo que vamos vendo onde nosso amor próprio estava, como erva daninha, invés do amor de Deus que é o que fará com daremos bons frutos, dizemos tantas vezes que não temos tempo, quantas vezes temos tempo mas nos  faltava no fundo determinação, uma pequena renuncia, deixar o celular por um instante, por exemplo, ou acordar um pouco mais cedo, ou se organizar melhor, porque sempre temos tempo para navegar nas redes sociais, ouvir nossa musica preferida, responder um amigo, mas nos falta a determinação, a compreensão que a oração é para nossa alma o que o alimento é para o corpo, portanto se não tivermos um momento para orar, por mais singelo que seja, de silencio, de recolhimento, de “meditar na presença de Deus”, nos perdemos, vamos confundindo a importância das coisas e vamos nos deixar ser arrastados e desordenados.

Não é por que somos de vida ativa que não conseguiremos ter vida de oração, pelo contrário, precisamos e muito dessa condição para sermos sal e luz no mundo e ainda mais para alcançamos a santidade, então que possamos ao levantarmos agradecer a Deus pelo dom da vida e ao o anjo da guarda, pois por meio dele, que tivemos nossa vida guardada durante a noite, logo a vida é um dom e por isso devemos pedir a graça de zelar por esse dom e não desperdiçar o dia que nos foi dado. As jaculatórias ao longo do dia podem ser de grande valia, pois são atos espirituais que elevam o coração a Deus, contribuindo com a nossa memória a se lembrar de Deus dentre os afazeres, mesmo sendo eles: no estudo, no seu lar, trabalho etc.

Lembra que perguntei o que e como fazemos nosso trabalho? Pois bem, devemos pela oração pedir misericórdia pelo que não fizemos tão bem (voluntariamente) e oferecer com humildade aquilo que fizemos bem, aqueles minutinhos ou horas, quem sabe, que passamos ociosos na internet, podem ser mais bem aproveitados pela oração pessoal ou lectio divina (leitura orante da palavra); Aos poucos vai aumentando pois a medida com que conhecemos a Deus, mais o amamos, mais queremos amar e só se ama o que se conhece, e é pela oração e leitura da palavra, a participação dos sacramentos, que vamos conhecendo a Deus.

Os santos rezaram muito e os monges seguem os mesmos passos, por que descobriram que é por meio da oração que se une de verdade a Deus; O trabalho e o apostolado que os santos tiveram é então uma extensão dessa vida interior cultivada no silencio, no recolhimento e penitencia, é por isso que se torna uma atividade frutífera, via de santificação, caminho árduo, mas que vale a pena.

Para que saibamos aproveitar bem os meios que Deus na sua providencia nos dispõe para nossa santificação, caminhemos com passos sejam eles curtos ou largos, mas caminhemos sempre lembrando que “nossa melhor arma é a oração… devemos ser almas contemplativas no meio do mundo, que procuram converter o trabalho em oração”.

[1] Minha Biblioteca Católica – Documentário sobre a vida dos Cistercienses.

FONTE: Vida de Santa Catarina de Siena.

Sulco 448 e 497 São Josemaria Escrivá.

Fidelidade, Javier Abad Goméz.

Destaque

Posts relacionados

PARA QUE UM DIA POSSAMOS “FLORIR” PARA VIDA

“Tudo que temos, na alma e no corpo, todos os bens que possuímos, internos e externos, naturais e sobrenaturais, todos são benefícios Vosso (de Deus), e outras tantas provas de vossa bondade, liberalidade e munificência, que de vós todos os bens recebemos.”

ler mais

Falta de tempo, ou de amor…?

“O ‘lema’ de São Bento é justamente “Ora et labora” ora e trabalha, mas notem que a oração antepõe ao trabalho, como era expresso por São Cipriano “nada se anteponha Cristo, pois Ele nada antepôs a nós”.
Que triste saber que antepomos tantas coisas a Cristo e Ele que nada antepôs para nossa salvação… ”

ler mais

Precisa de ajuda?

Entre em contato

SIGA-NOS

SOBRE O AUTOR

Jaqueline Oliveira

Católica, 23 anos. "nada se anteponha a Cristo, pois ele nada antepôs a nós"

COMENTÁRIOS

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

POSTS RELACIONADOS

PARA QUE UM DIA POSSAMOS “FLORIR” PARA VIDA

PARA QUE UM DIA POSSAMOS “FLORIR” PARA VIDA

Há uns anos atrás, ganhamos um vaso com violetas com suas folhas bem esverdeadas e com cor viva em suas flores, belíssima. E como gosto de plantas e flores, fui pesquisar um pouco como mantê-la viva e havia descoberto que não se deveria molhar as folhas, pois ficam...

Falta de tempo, ou de amor…?

Falta de tempo, ou de amor…?

 “A ociosidade é inimiga da alma” é o que foi regido por São Bento em sua regra, no ponto que é dito sobre ‘trabalho manual quotidiano’, basicamente, ele deixa claro para seus monges que se deve evitar o ócio, por meio da lectio divina, ou leitura espiritual, ou...

“Descascar nabos por amor a Cristo”

“Descascar nabos por amor a Cristo”

“Certo dia encontrava-se São Rafael trabalhando na cozinha quando, repentinamente, uma luz penetrou-lhe a alma impelindo-o a exclamar: "O que faço eu, Virgem Santa? Descascar nabos! Descascar nabos… para quê? "E o coração pulando no peito contestou-lhe sem refletir:...